Noticias Bacanas

Noticias Bacanas, coisas boas do nosso mundo

Boletos de papel começam a desaparecer 29/01/2010

Filed under: Uncategorized — anafontes @ 12:25 pm

 

Os bancos já começaram a deixar de emitir os boletos em papel que foram substituídos pelos boletos eletrônicos do Débito Direto Autorizado (DDA). Entretanto, os consumidores continuarão a receber os documentos em papel daquelas firmas que não registram sua cobrança nos bancos e, por isso, permanecem fora do DDA.

De toda forma, os boletos de cobrança transitados pelo DDA continuarão disponíveis, de forma eletrônica, para os clientes cadastrados como sacados eletrônicos.

Já existem 2,6 milhões de “sacados eletrônicos”, isto é, clientes cadastrados no DDA que recebem boletos digitais das cobranças registradas. Pelo novo sistema, que completou três meses dia 19 de janeiro, foram produzidos 34,2 milhões de boletos eletrônicos. Com isso, a quantidade de sacados eletrônicos aumentou 24%, entre dezembro e janeiro, enquanto a de boletos eletrônicos cresceu 41%.

Os bancos estão intensificando as ações para que os clientes cobradores utilizem a cobrança registrada. Com isso, aumentará, significativamente, o número de boletos eletrônicos disponíveis no DDA para a população. Entre os segmentos com maior foco estão os de condomínios, escolas e seguros. Outros serviços agregados ao sistema DDA estão os novos dispositivos de alertas de recebimento de boletos eletrônicos para os usuários, como os por meio de mensagens em celulares e Internet Banking.

Sobre o DDA
O Débito Direto Autorizado (DDA) é um sistema sem paralelo no mundo, que permite a apresentação eletrônica de boletos de cobrança, como os de escola, condomínio e clube. O serviço proporciona ao cobrador (cedente) vantagens como agilidade (o ciclo comercial poderá ser reduzido a dois dias), rapidez, certeza da entrega, integridade dos dados, segurança e facilidade no envio de instruções. Para o pagador (sacado), os benefícios são facilidade de acesso, sigilo, segurança, certeza do recebimento – e em tempo -, além de automação do processo da área de contas a pagar, no caso específico de empresas. O projeto continua despertando o interesse em autoridades do setor bancário de diversos países.

Como funciona

Ø O cliente pessoa física ou jurídica se cadastra como “sacado eletrônico” em um ou mais bancos nos quais tem conta. Basta preencher um formulário com informações pré-definidas pelo banco – a maioria dos bancos disponibiliza o cadastramento diretamente pela Internet e pelo caixa eletrônico.

Ø A empresa que receberá o pagamento (cedente) se cadastra no banco de seu relacionamento, para que suas cobranças sejam registradas e emitidas pelos bancos.

Ø Se o cliente pagador (sacado) estiver cadastrado e se o recebedor (cedente) tiver registrado as suas cobranças, nas quais constam o CPF/CNPJ dos sacados, será possível visualizar o boleto eletrônico pelo DDA.

Fonte: FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos

Os bancos já começaram a deixar de emitir os boletos em papel que foram substituídos pelos boletos eletrônicos do Débito Direto Autorizado (DDA). Entretanto, os consumidores continuarão a receber os documentos em papel daquelas firmas que não registram sua cobrança nos bancos e, por isso, permanecem fora do DDA.

De toda forma, os boletos de cobrança transitados pelo DDA continuarão disponíveis, de forma eletrônica, para os clientes cadastrados como sacados eletrônicos.

Já existem 2,6 milhões de “sacados eletrônicos”, isto é, clientes cadastrados no DDA que recebem boletos digitais das cobranças registradas. Pelo novo sistema, que completou três meses dia 19 de janeiro, foram produzidos 34,2 milhões de boletos eletrônicos. Com isso, a quantidade de sacados eletrônicos aumentou 24%, entre dezembro e janeiro, enquanto a de boletos eletrônicos cresceu 41%.

Os bancos estão intensificando as ações para que os clientes cobradores utilizem a cobrança registrada. Com isso, aumentará, significativamente, o número de boletos eletrônicos disponíveis no DDA para a população. Entre os segmentos com maior foco estão os de condomínios, escolas e seguros. Outros serviços agregados ao sistema DDA estão os novos dispositivos de alertas de recebimento de boletos eletrônicos para os usuários, como os por meio de mensagens em celulares e Internet Banking.

Sobre o DDA
O Débito Direto Autorizado (DDA) é um sistema sem paralelo no mundo, que permite a apresentação eletrônica de boletos de cobrança, como os de escola, condomínio e clube. O serviço proporciona ao cobrador (cedente) vantagens como agilidade (o ciclo comercial poderá ser reduzido a dois dias), rapidez, certeza da entrega, integridade dos dados, segurança e facilidade no envio de instruções. Para o pagador (sacado), os benefícios são facilidade de acesso, sigilo, segurança, certeza do recebimento – e em tempo -, além de automação do processo da área de contas a pagar, no caso específico de empresas. O projeto continua despertando o interesse em autoridades do setor bancário de diversos países.

Como funciona

Ø O cliente pessoa física ou jurídica se cadastra como “sacado eletrônico” em um ou mais bancos nos quais tem conta. Basta preencher um formulário com informações pré-definidas pelo banco – a maioria dos bancos disponibiliza o cadastramento diretamente pela Internet e pelo caixa eletrônico.

Ø A empresa que receberá o pagamento (cedente) se cadastra no banco de seu relacionamento, para que suas cobranças sejam registradas e emitidas pelos bancos.

Ø Se o cliente pagador (sacado) estiver cadastrado e se o recebedor (cedente) tiver registrado as suas cobranças, nas quais constam o CPF/CNPJ dos sacados, será possível visualizar o boleto eletrônico pelo DDA.

Fonte: FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos

Anúncios
 

Data Center verde: técnicas para consumir menos energia 28/01/2010

Filed under: Uncategorized — anafontes @ 12:01 pm

 

Hoje, uma grande preocupação das empresas que gerenciam datacenters é o Consumo de energia. Cada vez mais servidores são necessários para suprir a demanda crescente de produtos online. E isso implica em mais espaço, mais banda, mais poder de processamento e também, mais energia tanto para suprir os computadores, quanto para fazer funcionar os sistemas de refrigeração.

“Antigamente, você pensava em um Data Center como um todo gelado. Hoje algumas áreas podem ser quentes e outras frias: onde o servidor toma um ar é frio e aonde ele joga o ar elas podem ser quentes, e você pode tirar esse calor de forma mais simples do Data Center. Então ele é um esquema que aumenta a eficiência do ar condicionado dentro do Data Center.”

Mas como aumentar a eficiência da refrigeração no datacenter? Uma das técnicas utilizadas é a de criar corredores quentes e frios, alternadamente.

“Hoje em dia, todos os servidores modernos, de classe, usados no Data Center, eles sugam o ar frio pela frente e jogam para trás, então basicamente corredor é quando os servidores ficam de frente para o outro na troca de ar frio. Os corredores quentes são onde o ar que sai dos servidores ele é levado para o teto do Data Center onde ele é retirado para ser refrigerado e enviado por baixo. Então esse ciclo trás auto eficiência para o processo de refrigeração e economiza energia elétrica.”

Hoje, o processador é o elemento que mais consome energia em um datacenter, seguido do disco rígido. A indústria tem se esforçado para aumentar a eficiência dessas peças. Os discos estão cada vez menores. Já os processadores se tornaram inteligentes, e consomem menos energia se tiverem menor carga de trabalho. A virtualização também é peça fundamental no processo de economia energética.

“A média de utilização do Data Center chega a 10% do servidor. Ai o trabalho da virtualização é diminuir o numero de servidores e fazer com que a utilização fique mais alta. Ou seja, um numero menor de servidores você consegue oferecer a mesma quantidade de fornecimento do serviço”.

Países frios, geralmente, levam vantagem nessa equação, uma vez que precisam de menos energia para refrigerar os ambientes. Mas por outro lado, o Brasil acaba se mantendo em uma posição confortável nesse ranking. 85% da energia que consumimos vem de usinas hidrelétricas. Portanto, energia limpa, que não emite CO2 para atmosfera.

“As empresas de data Center já estão pensando nisso, por dois motivos: Pela Sustentabilidade e pelo corte de custos. Ou seja, uma coisa leva a outra e o Data Center esta acompanhando essa tendência do “Green Computing”.

Fonte: Olhar Digital

 

Telhado feito de garrafas PET 27/01/2010

Filed under: Uncategorized — anafontes @ 11:48 am

 

O uso de garrafas PET em tapetes, bases de pufes, luminárias e sistemas de aquecimento solar já é conhecido. Pois no segmento de materiais de construção, o tal polietieleno tereftalato também vem ganhando destaque. Em Manaus, o engenheiro eletrônico Luiz Antônio Pereira Formariz começou a investir na resina, tradicionalmente usadas em embalagens de refrigerante e água mineral, para fazer telhas. Assim, fundou a empresa Telhas Leve. O custo do metro quadrado do produto é de R$ 39, duas vezes mais alto que o da telha convencional de barro, que gira em torno de R$ 19. Mas, de acordo com Formariz, devido à sua leveza, o gasto com a estrutura do telhado custa R$ 15, um quarto do preço da tradicional, que é de R$ 70 em média.

As telhas de PET podem ainda ser encontradas em diferentes cores, como azul, amarela e vermelha. A marrom-cerâmica reproduz fielmente o tom das peças de barro. E a durabilidade do produto pode ser até cinco vezes maior. Além disso, Formariz destaca a importância que o produto traz ao meio Ambiente .

“Hoje em dia, devido a popularização do Consumo de refrigerantes embalados em garrafas de PET, a telha plástica tornou-se também uma grave ameaça ao meio Ambiente , pois, após o Consumo do conteúdo dessas garrafas, elas se transformam em lixo, causando poluições que afetam drasticamente o meio Ambiente . Com a Reciclagem do PET, existe a possibilidade de controlar esse problema, pois o material poderá ser transformado em outros produtos de grande utilidade e necessidades básicas para as pessoas”, explica o engenheiro.

A coleta das garrafas PET é feita por cooperativas e associações de catadores de lixo. A Reciclagem do material, segundo o engenheiro, além de poder contribuir para uma possível fonte de renda para famílias pobres ou desempregadas, reduz os de custos de fabricação dos produtos. Por ser um material que depende apenas de coleta, Reciclagem , e dos devidos tratamentos de preparação, o plástico implica num preço um pouco menor do que se fosse comprado novo.

PLÁSTICO RECICLADO PODE SUBSTITUIR O COMPENSADO EM ESTRUTURA DE EDIFÍCIOS – O plástico reciclado também vem substituindo os compensados de madeira tradicionalmente utilizados na construção de edifícios como suporte para a confecção da laje plana (”tipo cogumelo”, feita de concreto e que não necessita de vigas).

A ideia é da Premag, do Ceará, que fabrica o chamado “plasterit” partir de garrafas PET recolhidas por cerca de mil catadores da região. Segundo o engenheiro Luiz Edmundo Pereira, sócio-diretor da empresa, o emprego do plasterit na estrutura dos prédios pode trazer uma economia de cerca de 15% no valor da estrutura do prédio, pois o compensado do material pode ser reutilizado várias vezes.

“Essa concepção estrutural, aliada ao uso das formas plásticas com material reciclado e de peças metálicas, reduz o gasto de madeira a praticamente zero, numa edificação. Além disso, o uso da plasterit na construção civil evita o desmatamento e ainda a queima de madeira, já que os compensados tradicionais têm pouca durabilidade e são, posteriormente, queimados”, afirma Pereira.

A Premag, que foi contemplada com o prêmio Top Imobiliário 2009 da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Niterói), na categoria Sustentabilidade ambiental, já ergueu seis edificações com essa tecnologia no estado. E há mais cinco em construção: duas em Niterói, duas em Rio das Ostras e uma em Macaé. Entre elas, a do Hospital Icaraí, na Marquês do Paraná, e o prédio residencial La Brisa, na Praia de Piratininga.

Fonte: Yahoo Notícias

 

Sustentabilidade – As qualidades de um líder sustentável 20/01/2010

Filed under: Uncategorized — anafontes @ 5:46 pm
Tags: ,

Um pioneiro no estudo da liderança disse uma vez, “Líderes são pessoas capazes de se expressar de maneira completa”.

Expressar-se por completo requer necessariamente ter o que expressar. Talvez a idéia mais urgente para os líderes empresariais atuais seja defender a sustentabilidade e gerir uma empresa sustentável com sucesso. As empresas estão prestes a enfrentar um futuro com recursos mais escassos e caros. A pressão dos acionistas em Main Street, Wall Street e K Street irá moldar como uma empresa realiza seus negócios e é percebida pelo público.

Certamente, à medida que as pessoas começam a entender a magnitude e a velocidade de mudança necessárias para lidar com os problemas ambientais, sociais e econômicos que enfrentamos, há uma necessidade crescente por líderes que nos levem “longe e rápido”, como dito por Al Gore em um discurso recente.

Levar as organizações “longe e rápido” requer um novo tipo de pessoas que tenham o conhecimento, a capacidade e a coragem de conduzir iniciativas de sustentabilidade amplas que aprimorem o desempenho e agreguem valor aos lucros líquidos. Esse tipo de liderança será essencial para as empresas que desejam adotar estratégias sustentáveis eficazes e competitivas.

O Que é Necessário para Ser um Líder da Sustentabilidade

As equipes de gestão encarregadas de levar as organizações nessa nova direção precisam ser capazes de navegar por desafios imprevisíveis e compreender como transformá-los em oportunidades. Líderes com conhecimento sobre a sustentabilidade aprendem e se adaptam rapidamente, conseguem o comprometimento de pessoas e recursos de modo confiante e inspiram os outros. Em troca, elas são chamadas para liderar empresas que são inovadoras, capazes de atrair e reter funcionários talentosos, e são recompensadas com o aumento do valor atribuído pelos acionistas e outros benefícios financeiros.

Ray Anderson, fundador e presidente da Interface Inc., é um exemplo desse tipo de líder. Ele teve uma epifania há 15 anos. Desde então, transformou sua empresa de fabricação de tapetes em um dos principais negócios sustentáveis do país. Ele ajudou a Interface a aumentar os lucros de maneira significativa (o preço das ações subiu 550% nos últimos cinco anos) e suas ações levaram a indústria dos tapetes a modificar suas práticas. Atualmente, a Interface possui uma fatia de mercado considerável e já percorreu metade do caminho para atingir seus objetivos de utilizar 0% de recursos não renováveis e produzir 0% de lixo e emissões de carbono até 2020.

Como uma pessoa pode se tornar um líder da sustentabilidade de sucesso? Primeiro, adquirindo as habilidades práticas e o conhecimento. Os melhores sabem:
• Utilizar os princípios e estruturas de gestão sustentável para ajudar a orientar, entender e guiar a estratégia de negócios;
• Defender a sustentabilidade e estabelecer critérios para a alteração de modelos de negócios, produtos e serviços;
• Aprender como aplicar as ferramentas de gestão emergentes como a “receita líquida integrada”, análise e participação dos envolvidos, análise do ciclo de vida, contabilidade dos custos totais e relatório de sustentabilidade.
Os líderes empresariais podem aprender essas habilidades ao longo de anos de trabalho. Outra opção cada vez mais popular é acelerar o aprendizado participando de um dos programas de MBA ou executivos existentes nos EUA cujo foco é a sustentabilidade. Os melhores entre esses programas são conduzidos por especialistas reconhecidos que compartilham não apenas seu conhecimento, mas também sua experiência para auxiliar outros profissionais a desenvolverem suas competências de modo a conseguirem navegar pelas complexidades sociais, ambientais e econômicas de nosso tempo.

Mais do que Simplesmente Habilidade, É Preciso Coragem

Embora as habilidades e conhecimento sobre sustentabilidade sejam pré-requisitos, a capacidade de defender a sustentabilidade requer a capacidade de unir essas habilidades a outras menos tangíveis, incluindo ser capaz de inspirar e desenvolver outras pessoas e garantir que a cultura, os sistemas e a estratégia da empresa estejam alinhados.

A capacidade de prestar atenção a intangíveis e agir em determinados momentos requer coragem. E a coragem é uma virtude que poucas empresas ou escolas de administração discutem. Mas deveria ser um tema central dos cursos de sustentabilidade nos negócios. Ela pode ser ensinada através do desenvolvimento dos atributos de um aluno pragmático, um bom comunicador e um colaborador eficaz.

A adoção da postura de um aprendiz ajuda os líderes a se perguntarem e a agirem em desafios difíceis como a sustentabilidade de maneira contínua. A reflexão disciplinada sobre a experiência adquirida ajuda os líderes a aprenderem mais rapidamente com seus erros e a re-programar um novo trajeto que seja fundamentado nos objetivos e valores da organização.

Um colaborador competente facilita as mudanças, alinha as expectativas e conduz a soluções que satisfazem todos os envolvidos. Obter o comprometimento de todos os envolvidos no processo de ouvir, aprender e construir compromissos compartilhados é a parte central da liderança eficaz.

Ao “se expressarem de maneira completa” através da competência, capacidade e coragem, os líderes de negócios podem convencer seus acionistas, reguladores, clientes, funcionários e fornecedores de que a sustentabilidade faz bem aos negócios e à sociedade. E esses são os líderes que podem nos ajudar a chegar “longe e rápido”.

Fonte: Agenda Sustentável (www.agendasustentavel.com.br)
HSM Online
20/01/2010

 

Sensibilidade e solidariedade a toda prova. 19/01/2010

Filed under: Uncategorized — anafontes @ 6:27 pm
Tags: ,

O que pensar da imprensa na cobertura desta catástrofe sem proporções do Haiti.

Confesso que as vezes penso que não dá para acreditar em mais nada.

Parece um concurso para quem mostra a imagem mais cruel , mais triste, mais desoladora. É claro que a situação lá é até pior do que se mostra. Mas será que a imprensa não tem uma forma melhor de ajudar?  Não é necessário esconder as imagens horripilantes que nos fazem ter pesadelos a noite.

Sei que os pesadelos são nada diante do sofrimento deste povo já tão sofrido. De toda esta cobertura ficaram para mim alguns momentos com destaque, a adoção de crianças desamparadas. A matéria do Régis Rosling da Globo , no Esporte Espetacular mostrando como era o Haiti antes desta tragédia.

Dá um certo desespero imaginar como eles reconstruirão este país. Dificil crer na natureza humana e pensar que as pessoas ajudarão de fato, alimentarão os mais necessitados, abrigarão os milhares de desabrigados.

Ouvi cifras vultuosas mencionadas na imprensa, Gisele Bundchen 1.5 milhão de dólares para citar só uma.

Tenho muita fé que pessoas de bem como era a Sra. Zilda Arns assumirão de fato o que é melhor para o povo do Haiti e os ajudem a voltarem a ser humanos.

É bonito ver a solidariedade e a sensibilidade do mundo com este povo, só torço para que a imprensa não os esqueça como esquecidos foram as vítimas do Tsunami que até hoje lutam pelas suas vidas.

Viva e vida ao povo do Haiti.

 

Campanha Plante para o Planeta ultrapassa a marca de 7 bilhões 14/01/2010

Filed under: Uncategorized — anafontes @ 11:34 am

 

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) declarou que a campanha “Um Bilhão de Árvores”, promovida pelo Plante para o Planeta, ultrapassou a meta de sete bilhões de árvores plantadas no mundo, uma para cada pessoa do planeta.

A campanha, lançada em novembro de 2006 na Conferência sobre Mudanças Climáticas de Nairóbi, no Quênia, teve seu objetivo de 1 bilhão de árvores ampliado para a marca de 7 bilhões e hoje apresenta um número de 7,4 bilhões.

Balanço

O objetivo inicial, de plantar 1 bilhão de árvores anualmente, surgiu como uma forma de expressão pública aos desafios das mudanças climáticas, e também à degradação das florestas e ecossistemas.

Em 2008, o Pnuma aumentou em referência à Conferência das Partes sobre o Clima (COP-15), importante encontro realizado em Copenhague em dezembro do ano passado.

O Pnuma ressaltou que o sucesso do projeto deve-se à participação coletiva de pessoas de várias partes do mundo, de diferentes áreas e setores. Entre os países que mais plantaram árvores estão a Etiópia, Quênia, Turquia, México, Cuba, Indonésia e China.

Vale lembrar que mesmo com o prazo extinguido a contagem continua. Para participar, basta assumir o compromisso no site da campanha (http://www.unep.org/billiontreecampaign/portuguese/) e em seguida comprovar o plantio de uma muda.

Fonte: EcoD

 

Dia internacional do riso ganha programa na WEB 13/01/2010

Filed under: Uncategorized — anafontes @ 11:43 am

Proposta é disseminar o riso e provar que atitudes positivas elevam a auto-estima e o prazer de viver Marcelo Pinto, conhecido como Doutor Risadinha e autor do livro ‘Sorria, você está sendo curado’, publicado pela Editora Gente, estreia o programa ‘Sorria e tenha um bom dia’ em 18 de janeiro, quando se comemora o Dia Internacional do Riso, às 10 horas, no canal web Demais TV. Com a proposta de divulgar os benefícios do riso e as vantagens de ser bem humorado, o idealizador do programa, Marcelo Pinto explica: “queria muito que o programa estreasse na segunda-feira, logo pela manhã, para que nos lembremos de que devemos começar a semana com o pé direito, com muita alegria, sempre com otimismo e energia positiva, e que isso se prolongue por todos os dias”. O programa semanal será transmitido ao vivo pelo canal web Demais TV (www.demaistv.com.br) e será reprisado durante a semana. Haverá participação on-line dos telespectadores e presencial dos interessados em conhecer as atividades do Clube da Gargalhada de São Paulo, além de entrevistas com as Personalidades do Riso. Para conhecer mais sobre Marcelo Pinto e o Clube da Gargalhada de São Paulo, acesse o blog http://doutorrisadinha.blogspot.com Fonte: Cia da Informação